Não foi possível detectar sua localização. Selecione um estado de seu interesse para ver as melhores ofertas. X

Blog da Tegra

Coliving: o que é, como funciona e por que está em alta?

Cada vez mais popular, o coliving tem se tornado uma opção atraente para quem busca uma forma descomplicada de morar. Confira!

21/07/2021 • 11h25min • EM MERCADO

Uma imagem perspectiva do lounge térreo do DSG Itaim, um empreendimento Tegra.

Cada vez mais popular, o coliving tem se tornado uma opção atraente para quem busca uma forma descomplicada de morar. Com traços do cohousing, esse conceito incentiva o convívio e a troca de experiências com outros moradores.

Inspirados nessa tendência, alguns empreendimentos imobiliários estão investindo em apartamentos com mais opções de espaços compartilhados e áreas cada vez mais equipadas. É possível encontrar moradias com lavanderia, coworking e até cozinha.

O que é coliving?

O coliving é um conceito que engloba senso de comunidade, sustentabilidade e economia colaborativa. 

No site Wikipédia, encontramos a definição como "um tipo de comunidade intencional que fornece moradia compartilhada para pessoas com afinidades de intenções. Isso pode variar desde se reunir para atividades como refeições e discussões nas áreas comuns, até se estender ao compartilhamento do espaço de trabalho e empreendimentos coletivos, como viver de maneira mais sustentável".

Como surgiu o coliving?

O termo “coliving” surgiu como uma variação do “cohousing”, um estilo de moradia que começou a se popularizar nos anos 70, na Dinamarca. 

E do que se tratava exatamente? A primeira comunidade de cohousing, chamada Sættedammen, abrigava 35 famílias que tinham moradias individuais, mas compartilhavam espaços de convivência e atividades, como refeições e limpeza.

Inspirado nesse modelo de habitação, em 1988, o arquiteto Charles Durrett começou a aplicar essa filosofia em empreendimentos nos EUA. Foi quando ele deu início à The Cohousing Company, com o propósito de promover uma sociedade mais sustentável.

A partir dos anos 90, o conceito chegou ao Canadá e, no começo dos anos 2000, começou a fazer sucesso na Europa e Ásia.

Com o tempo, esse tipo de moradia compartilhada ganhou novas formas, muito parecidas com o cohousing, mas com uma diferença: não se compartilhavam apenas os espaços de convivência, mas também o imóvel. 

Hoje, o coliving abrange uma infinidade de possibilidades. Existem, inclusive, alguns empreendimentos imobiliários que se inspiram nesse conceito para criar apartamentos com áreas em comum bem equipadas - com cozinha, lavanderia e até coworking.

Tipos de coliving

Atualmente, o conceito de coliving tem sido aplicado de forma ampla, não apenas como uma opção de moradia em comunidade. Aqui estão as variações mais comuns: 

Moradia privativa, mas com áreas comuns compartilhadas

Existem colivings que são mais próximos do cohousing, ou seja, as moradias são privativas, o que se compartilham são os espaços externos. A diferença é que, nos dias de hoje, as áreas em comum são mais valorizadas e estão cada vez mais equipadas para atender vários perfis de público. 

Perspectiva ilustrada do coworking do Alle Studios, um empreendimento Tegra.Um exemplo são os apartamentos de metragem menor, como o Alle Studios, que possuem uma infraestrutura completa nas áreas comuns, com lavanderia, salas e espaços de convívio e lazer, coworking, entre outros. Este tipo de coliving está ganhando cada vez mais espaço nos empreendimentos no Brasil.

Saiba mais:
10 motivos para investir em apartamentos compactos

Moradia compartilhada

Há também um modelo de coliving que traz uma divisão de cômodos dentro de uma propriedade. No Japão, esse tipo de moradia compartilhada já é muito comum em várias cidades. Por lá, existem empreendimentos que oferecem quartos individuais de aproximadamente 12m², mas com as áreas comuns compartilhadas como cozinha, banheiros, sala de estar e jantar.

Esse modelo lembra as repúblicas, mas com algumas diferenças. Primeiro, a infraestrutura do coliving costuma ser maior e melhor. Além disso, os objetivos são diferentes. A república, normalmente, é uma opção econômica de dormitório para estudantes que precisam morar próximo ao local de estudo.

O coliving, por sua vez, costuma atender a um perfil diferente de público que, além de dormitório, procura novas maneiras de interação e convivência.

Outro ponto é que nas repúblicas os moradores costumam repartir os gastos. Já no  coliving, geralmente, se paga um valor fixo à administradora do espaço, como uma taxa de condomínio.

 Espaços com senso de comunidade

O coliving vai além da moradia. No Brasil, por exemplo, tem se popularizado também como uma forma de expressar o colaborativismo e a economia criativa.

O coliving considera a junção de dois aspectos de convivência: o espaço físico e os valores (ou filosofia) em comum. E como as questões de afinidade variam bastante, não há um padrão de coliving, o que acaba resultando em espaços únicos. 

Neste vídeo da série Casa Tegra Em Casa, Rafael Delfino, organizador do espaço Backyard, explica como trouxe o conceito de coliving para um badalado bairro de São Paulo, a Vila Madalena. Com foco no colaborativismo, ele criou um local democrático e multidisciplinar para que pessoas e empresas possam usufruir da atmosfera criativa que o ambiente oferece.

O Rafael viajou pelo mundo e trouxe essa vivência para o projeto Backyard - um espaço arejado, construído no estilo industrial, que oferece uma área completa de convivência: coworking, loja, rooftop com vista para o bairro, cozinha e bar. 

Tendência no estilo de morar

Em tradução livre do inglês para o português, o coliving pode ser interpretado como moradia (living) coletiva (co). E é exatamente isso que o conceito propõe: várias pessoas ocupam o mesmo espaço habitacional - como um condomínio de apartamentos, por exemplo - com o maior número de áreas de convivência possíveis. 

Basta um olhar mais atento no mercado imobiliário para confirmar essa tendência em diversos lançamentos realizados nos últimos anos. Empresas como a Tegra Incorporadora vêm surpreendendo com projetos desenvolvidos para o novo jeito de morar, incorporando essa tendência nas áreas comuns.

Perspectiva ilustrada da lavanderia do Quad Studios, um empreendimento Tegra.O Quad é um exemplo disso. Um projeto inteligente com Studios modernos de 25 m² e espaços pensados para um novo jeito de viver - com coliving, coworking, bicicletário, lavanderia e delivery space, além de piscina e fitness. Tudo o que você mais precisa para investir ou morar na região que mais valoriza do Campo Belo.

Receba nossas notícias e informações exclusivas diretamente no seu e-mail




Proteção de Dados Pessoais

A Tegra utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência
de acordo com nossa Política de Privacidade . Ao continuar navegando, você aceita estas condições.
Acesse nossa Política de Privacidade e saiba como tratamos dados pessoais.