Não foi possível detectar sua localização. Selecione um estado de seu interesse para ver as melhores ofertas. X

Blog da Tegra

Aposte em imóveis para diversificar seus investimentos

Opções rentáveis para diversificar a carteira investindo em imóveis. Saiba mais!

21/09/2020 • 10h00min • EM MERCADO

mulher sentada em frente a uma mesa fazendo anotações em um caderno e segurando uma lâmpada com a outra mão.

Você já deve ter escutado o conselho “não coloque todos os ovos no mesmo cesto”. É uma velha metáfora para explicar que, se você colocar os ovos no mesmo cesto e, por acaso, derrubá-lo, todos irão se quebrar. Mas, se você separar os ovos em vários cestos, e eventualmente um destes cair, perderá apenas um ovo. No mundo dos investimentos, o nome disso é diversificação. É assim que você pode garantir mais segurança na sua carteira. 

Aplicar o seu dinheiro em diferentes lugares é importante para diluir os riscos e maximizar os ganhos. Assim, quando uma de suas aplicações não estiver com bom desempenho, não será tão impactante, pois as outras podem compensar essa perda.

Essa lógica faz todo sentido, não é? 

O que você precisa levar em consideração são os fatores macroeconômicos e como eles influenciam cada tipo de investimento, antes de escolher onde quer diversificar. 

Falando nisso, lembramos do assunto mais falado do momento: a queda constante e histórica da taxa Selic, que reflete positivamente no setor imobiliário. Neste post, vamos falar justamente dos imóveis como uma opção para você diversificar sua carteira. Confira! 


Como investir em imóveis  

Mesmo entendendo todo esse contexto, muitas pessoas têm medo e acham arriscado “se aventurar” - seja pela falta de conhecimento ou por comodidade - em diferentes tipos de investimentos. É preciso quebrar esse paradigma! Para te ajudar a abrir a mente e avaliar algumas oportunidades, vamos mostrar algumas formas de investir em imóveis.


Imóveis na planta

Estamos vivendo um cenário de queda na Selic, o que significa crédito a juros mais baixos, como é o caso do financiamento imobiliário. É uma oportunidade para comprar um imóvel na planta como um investimento, pois ele poderá valer mais quando finalizado, além do potencial de renda de locação futura.

Uma das vantagens de comprar um imóvel ainda na planta é o custo mais em conta que ele pode ter em relação a um apartamento novo já pronto para morar. 

Existe também potencial de ganhos caso você aposte em um bairro com potencial de crescimento, que esteja recebendo melhorias em infraestrutura e locomoção, como estações de metrô, trem, pontos de ônibus, shoppings e mercados. 

Uma dica importante, se você tiver interesse em comprar imóvel direto com a construtora, é pesquisar sua história e solidez no mercado. Observe se ela é bem conceituada, certificada e possui prêmios reconhecidos por instituições que avaliam o setor. Conheça a qualidade dos imóveis, visitando uma unidade já concluída.

Letra de Crédito Imobiliário (LCI)

Outra forma de diversificar no setor imobiliário é comprar títulos LCI. É bastante acessível porque o valor mínimo de aplicação não é alto, além de trazer mais segurança por ser um investimento de renda fixa.   

Além disso, o LCI é classificado como investimento de baixo risco por ter a garantia do Fundo Garantidor de Créditos para investimentos de até R$ 250 mil, e é isento de impostos. 

Como funciona: você empresta seu dinheiro à instituição financeira para ela usar em projetos no setor imobiliário. Em troca, você recebe uma taxa de rentabilidade anual pré-fixada ou pós-fixada, conforme definido no momento da compra do título. 


Fundos de Investimentos Imobiliários (FII)

Você sabia que é possível viver com a renda de aluguéis sem ter que comprar um imóvel ou se preocupar com condomínio, reformas e IPTU? Estamos falando dos Fundos de Investimentos Imobiliários (FIIs).

Os Fundos Imobiliários são investimentos de renda variável, negociados na Bolsa de Valores. Esta é uma opção para quem tem o perfil mais arrojado e está disposto a assumir os riscos do mercado de ações em busca de maior rentabilidade. 

Se você investir em FII, comprará cotas em fundos destinados ao mercado imobiliário. O seu dinheiro, somado ao de outros cotistas, serve para viabilizar negócios como shoppings, galpões de fábricas e até hospitais.

Veja só como funciona:

  • Aplicando em fundos imobiliários, em vez de imóveis físicos, o dinheiro é usado na construção ou na aquisição de imóveis, que depois são locados ou arrendados. 
  • Os ganhos obtidos com essas operações são divididos entre os participantes, na proporção em que cada um aplicou.
  • O cotista não pode exercer nenhum direito real sobre os empreendimentos do fundo, ao contrário do proprietário de um imóvel de fato. 
  • O valor mínimo para investir varia bastante. Você pode até encontrar fundos abaixo de R$ 50, por exemplo. 


Os Fundos Imobiliários são classificados em alguns grupos diferentes:

  • Fundos de tijolo (ou de renda): são os investimentos nos imóveis, que costumam ganhar com aluguéis. 
  • Fundos de papel (ou de recebíveis): esses fundos compram títulos ligados ao mercado imobiliário ( LCIs, CRIs, FIDCs, entre outros) no lugar dos imóveis em si. 
  • Fundos híbridos: é uma mescla dos dois - fundos imobiliários com investimentos em imóveis diretamente.


O FII é uma boa opção para quem gosta do setor imobiliário e não tem recursos para comprar um imóvel físico por conta própria, além de ser acessível e gerar rendimentos isentos. Mas, como toda operação de renda variável, é necessário estar atento aos movimentos do mercado e economia.


 Gostou dessas dicas? Leia também aqui no Blog da Tegra:

Receba nossas notícias e informações exclusivas diretamente no seu e-mail


;

Proteção de Dados Pessoais

A Tegra utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência
de acordo com nossa Política de Privacidade . Ao continuar navegando, você aceita estas condições.
Acesse nossa Política de Privacidade e saiba como tratamos dados pessoais.

;