8 Dicas de planejamento para comprar seu imóvel | Blog Tegra
Não foi possível detectar sua localização. Selecione um estado de seu interesse para ver as melhores ofertas. X

Blog da Tegra

8 Dicas de planejamento para comprar seu imóvel

Para comprar o seu primeiro imóvel, é preciso ter um planejamento bem estabelecido e respeitar o seu potencial de compra. Confira 8 dicas sobre planejamento financeiro para você realizar o seu sonho da casa própria!

02/08/2018 • 14h00min • EM MERCADO

Por que você acha que ainda não dá para comprar o seu imóvel? Muita gente alega que “não consigo juntar dinheiro” ou que “nunca sobra nada para poupar” ou ainda que “com o que ganho é impossível pensar em comprar um apartamento”.Os motivos são os mais variados, e, de fato, a compra da casa própria não é tão simples assim, mas o que pouca gente entende é que com um bom planejamento financeiro, o sonho da casa própria pode ser realizado sem comprometer o seu orçamento.

Neste post, trazemos algumas dicas de como você pode começar a se planejar para sair do aluguel e conquistar sua casa própria. Mas já adiantamos que, na prática, é preciso considerar a particularidade de cada uma e saber que, infelizmente, não há nenhuma fórmula exata para seguir. Você precisa adaptar nossas recomendações para a sua realidade, combinado?


Verifique se o imóvel cabe no seu bolso

Se você não tem o dinheiro total guardado para comprar o imóvel à vista e precisará fazer uma financiamento, antes de mais nada, você precisa saber qual é o seu real poder de compra, ou seja, quanto você pode pagar pelo imóvel financiado: valor total e parcelas.

O ideal é ter guardado, pelo menos, um terço do valor do imóvel, para conseguir manter o prazo de financiamento por volta dos 12 anos e com parcelas no valor de um aluguel, por exemplo. A prestação mensal não deve ultrapassar 25% da renda familiar. Além disso, é interessante que o comprador consiga reservar cerca de 10% de sua renda mensal para emergências depois de pagar a prestação e todas as suas contas do mês.


Para saber melhor se o imóvel que você quer cabe no seu orçamento, procure o seu gerente do banco e converse. Ele fará uma simulação de financiamento imobiliário com base na sua renda e te apresentará as linhas de crédito disponíveis e como elas funcionam. Esse simulado servirá como um norte para a sua meta de economia.


Compare as taxas de juros

Depois que você já sabe quanto pode gastar e quais as opções que o seu banco oferece, você pode procurar outras instituições financeiras atrás de condições melhores. As taxas de juros podem variar bastante. Fique atento: Um banco pode cobrar uma taxa de 9% enquanto outro, 12%. Essa diferença de apenas 3% pode resultar em uma diferença de 25% no valor total financiado lá no final.


Entenda os gastos envolvidos na compra de um imóvel

Ao financiar um imóvel, você precisa saber de todos os gastos envolvidos nessa transação. Você terá que fazer o financiamento, verificar as taxas do banco e tudo o mais. Mas não acaba aqui. Você também terá as despesas com a documentação do imóvel e o seu registro. É nessa hora que entram o famoso ITBI e a escritura do imóvel, e tudo isso envolve gastos além do valor do próprio imóvel. E esses gastos podem ser bastante altos. Fizemos outros textos para te explicar como registrar um imóvel e como calcular o ITBI, eles irão te ajudar a entender melhor as despesas extras da compra do imóvel.


Veja quais são seus gastos atuais e o que não é essencial

Sabemos que poupar dinheiro não é tarefa fácil. Mas se você quiser concretizar o seu sonho o comprar sua casa própria, você terá que abrir mão de gastos supérfluos para economizar. Para não se perder no caminho, é importante traçar um plano bem sólido e a longo prazo, com objetivos claros e possíveis. Assim, você saberá exatamente que todas as suas renúncias são para um bem maior e um futuro mais confortável. Pequenas mudanças na sua rotina podem refletir numa economia bastante significativa no final do mês. Ponha na ponta do lápis todos seus gastos diários, semanais e mensais e comece a classificá-los em ordem de necessidade. E comece a praticar o consumo consciente. Veja o que é essencial e o que pode ser cortado ou minimizado. Dê fim àqueles pequenos gastos diários que no final do mês torram a sua renda. Adiantar o pagamento das compras do cartão de crédito, por exemplo, tem vantagens de redução de juros.

Se você acha isso muito difícil vale a pena apostar em aplicativos para smartphones de controle financeiro. E se quiser ir ainda mais longe, a Bovespa, entre outras, oferece diversos curso de curta duração de educação financeira para pessoa física. Pode ser uma ótima opção para aprender a ter mais consciência dos seus gastos. No site educação financeira, eles também disponibilizam uma planilha de orçamento pessoal bem intuitiva. E tenha sempre em mente que todos os sacrifícios de agora são para você conquistar o seu sonho no futuro.


Encontre formas de fazer o seu dinheiro render

Além de economizar, comece a pensar em formas de investir o seu dinheiro e fazê-lo render. Há diversos tipos de investimentos. Pense fora da poupança, vá atrás de informação. Converse com o seu gerente e pesquise as opções. Pode ser investimentos mais arriscados que garantem lucros maiores, como ações na bolsa de valores, ou pode ser investimentos mais conservadores com lucros mais contidos, como o tesouro direto. E não precisa ser só com o seu banco, procure corretoras, pois elas, muitas vezes, oferecem condições mais competitivas. Novamente, a Bovespa disponibiliza informações bastante completas sobre esse tema.


Escolha o imóvel que você precisa

Além de escolher um imóvel que caiba no seu bolso, você deve procurar por um imóvel que satisfaça as suas necessidades. Analistas do mercado dizem que o comprador deve imaginar a sua vida em um prazo de oito anos. Até lá, você estará casado? Trabalhando no mesmo lugar? A família vai aumentar? É com base nessa perspectiva que a escolha do imóvel deve ser tomada.


Pesquise sobre o imóvel e o vendedor

Não importa se a casa ou o apartamento que você está de olho é novo ou usado. Você deve checar todas as informações sobre a construtora ou a imobiliária responsável pela intermediação da compra e pode pedir toda a documentação que comprove que o imóvel está legalmente registrado, sem pendências com o poder público e com o condomínio em dia. É direito seu ter acesso a todas as certidões e comprovantes de IPTU.


Pense na localização do imóvel

A localização é um dos principais fatores de valorização de um apartamento ou de uma casa, e deve ser levada em conta a curto e longo prazo. Preste atenção a transportes, comércio, serviços, segurança e outros fatores que podem influenciar no índice de qualidade de vida nesse bairro. Além disso, você também precisa respeitar o seu perfil: de nada adianta comprar um imóvel em uma região boêmia porque o potencial de valorização é alto se você prefere a tranquilidade de um bairro residencial.

Gostou? Quer saber mais?

Não deixe de conferir nenhuma novidade no novo blog da Tegra. Temos certeza que você irá se surpreender!


Chat
Olá! Como podemos te ajudar?
Quero comprar um Tegra Já sou cliente Quero trabalhar na Tegra Quero ser fornecedor
Ligue e fale com um corretor Tegra
11 3197-2990
Whatsapp
E-mail
Chat