Não foi possível detectar sua localização. Selecione um estado de seu interesse para ver as melhores ofertas. X

Blog da Tegra

Saiba como é calculado o valor do condomínio

A taxa de condomínio é calculada a partir da soma de diversas despesas que garantem as condições de funcionamento, segurança e conforto a todos os moradores. Acesse e saiba mais sobre este assunto!

27/05/2020 • 10h00min • EM MERCADO

Casal entendendo como é calculado o valor do condomínio

Quem mora ou pretende morar em um apartamento certamente já ouviu falar sobre a taxa de condomínio. Esse valor mensal é cobrado de todos os moradores para custear serviços que garantam o bom funcionamento do condomínio. Mas, nem sempre os custos incluídos nessa conta são questionados ou compreendidos. 

O assunto gera muitas dúvidas, por isso, preparamos um post com tudo que você precisa saber sobre o cálculo do valor do condomínio. Confira!


O que é a taxa de condomínio?

O condomínio é tudo que envolve as dependências de uso comum dos proprietários dos imóveis. Para garantir plenas condições de funcionamento, segurança e conforto, os moradores precisam ratear algumas despesas de serviços importantes para o dia a dia de todos.

Você vai descobrir que a taxa de condomínio pode variar bastante de acordo com a região do imóvel, o número de moradores e características próprias. Além disso, a divisão da taxa por apartamento também pode ser diferente.

No final de doze meses, os síndicos, moradores e membros do conselho administrativo se reúnem para avaliar os gastos do último ano e calcular o valor do condomínio para possíveis reajustes. Muitos moradores preferem não participar destas reuniões e perdem a oportunidade de questionar ou contestar algumas despesas/ reajustes.


É uma taxa obrigatória?

Sim! Todos os proprietários, mesmo que não estejam morando no imóvel, são obrigados a pagar a taxa de condomínio.

No caso de inadimplência, você pode sofrer as consequências previstas pelo seu condomínio. Cada um tem suas regras estabelecidas em um documento chamado “convenção do condomínio”. Alguns exemplos de punições: pagar multa e juros, ser negativado e incluído em sistemas de proteção ao crédito, ser impedido de votar em assembleias no condomínio, e até perder o imóvel.

Como é feito o cálculo do valor do condomínio?

Já ficou claro que a manutenção das dependências em comum é de responsabilidade dos moradores, certo?! Agora, vamos entender melhor o modo como a taxa de condomínio é arrecadada, pois ela pode variar bastante.

O valor é calculado a partir da soma das despesas ordinárias, do fundo de reserva e de eventuais despesas extraordinárias.

As despesas ordinárias são aquelas que fazem parte do dia a dia:


• Os salários dos funcionários - próprios ou terceirizados;

• Consumo - água, luz e gás;

• Conservação e manutenção de equipamentos - elevadores, segurança, portões etc.;

• Administrativas - materiais de limpeza, despesas com correios, boletos bancários e taxa da administradora.


Também podem ser incluídas despesas com a manutenção da piscina, área de lazer (como playground e quadras), salão de festas, churrasqueira, enfim, tudo que engloba o gasto em comum.

Geralmente, o que mais pesa no valor da taxa é o número de funcionários que trabalham no condomínio. Boa parte do dinheiro arrecadado é para custear a folha de pagamento.

Já as despesas extraordinárias são gastos pontuais, aprovados durante a reunião de condôminos. Vamos supor que o prédio não possui câmeras de vigilância e os moradores reclamam da segurança. A compra e instalação desses equipamentos será um gasto extraordinário.

Para essas situações que não estão previstas no orçamento, existe o fundo de reserva, que normalmente é estipulado pela convenção do condomínio.

Além dessas despesas de uso comum, existem aquelas que não englobam todos os moradores, mas podem ser uma opção do condomínio. Por exemplo, se o prédio tem academia e um grupo de pessoas tem interesse em contratar um personal trainer, esse custo será dividido entre aqueles que usarem o serviço.

Como você viu, os fatores particulares de cada condomínio podem interferir na taxa cobrada.


Leia também no Blog da Tegra:

Inquilino ou proprietário? Quem paga o IPTU do imóvel?

Veja como declarar seu imóvel vendido no imposto de renda


Taxa de fração ideal ou taxa fixa?

Há prédios que cobram uma taxa fixa, por unidade, considerando o mesmo valor para todos os apartamentos. Outros optam pela cobrança por fração ideal. Nesse caso, os moradores são responsáveis pelo pagamento proporcional ao tamanho da propriedade. Assim, imóveis maiores, pagam mais.


A fração ideal é calculada com a seguinte fórmula:

Fração Ideal da unidade = FI

Área total do terreno = Ater

Área da Unidade Residencial em questão = Aund

Área total construída das unidades = At und

Cálculo:

FI = (Ater x Aund)/ At und


Lembrando que a fração ideal de cada imóvel, em relação ao todo do terreno, deve constar na convenção condominial. Por exemplo, "apartamento com área útil de 102 - 80 m², área comum de 20 m² e área total de 100 m², correspondendo a fração ideal de 0,025..."

Entendeu como é calculado o valor do seu condomínio? Continue acompanhando e confira outras dicas aqui no Blog da Tegra!

Receba nossas notícias e informações exclusivas diretamente no seu e-mail


;