Não foi possível detectar sua localização. Selecione um estado de seu interesse para ver as melhores ofertas. X

Blog da Tegra

Aprenda como identificar e acabar com cupim em apartamento

Silenciosamente, os cupins invadem as residências em busca de abrigo do calor e, aos poucos, deixam um rastro de destruição. O que fazer? Acesse e confira!

22/07/2021 • 11h37min • EM DICAS & DECORAÇÃO

Uma fotografia de um batente de porta com cupim.

Silenciosamente, eles invadem as residências em busca de abrigo, do calor e, aos poucos, deixam um rastro de destruição. Os cupins são assim, entram sem pedir licença e  comem o que enxergam pela frente. 

Por serem visitantes discretos, podem ficar anos hospedados em um imóvel sem que os moradores percebam. E, muitas vezes, quando são descobertos, já é tarde demais. Então, mesmo que não seja um problema aparente, é importante ficar atento a alguns sinais que podem indicar a presença dos cupins.

Como saber se tem cupim em casa

Os cupins são insetos que buscam lugares úmidos, para se abrigarem do calor, e celulose como fonte de alimentação. Em épocas de temperaturas altas, eles entram nas residências e procuram ambientes com essas características. 

Existem dois tipos mais comuns: os de madeira seca - que se instalam em móveis, portas, batentes e rodapé, e os subterrâneos - que preferem ambientes mais escuros e úmidos, como decks, assoalhos, tacos e outros locais. Ambos deixam sinais que podem ser identificados a tempo de evitar grandes estragos, confira abaixo.

Insetos em volta da lâmpada

Você já se perguntou por que os insetos voadores ficam em volta das lâmpadas? Geralmente, os insetos de hábitos noturnos se guiam pela luz da lua. Acontece que o brilho das lâmpadas, principalmente as do tipo LED, acaba confundindo o senso de direção deles. Por isso, sentem-se atraídos e podem invadir o interior das casas.

Uma fotografia que ilustra diversos cupins em cima de um muro.

Asas de insetos

Na fase adulta, os cupins ganham asas e são popularmente chamados de aleluias (siriris). Nesse estágio, o inseto sai do cupinzeiro, voa e se reproduz. Depois, perde as asas e morre. Então, a presença de insetos voadores ou de asas de cupim pela casa pode indicar o início de uma infestação.

Rachaduras, buracos e barulhos

Em pequenas quantidades, os cupins são imperceptíveis. Mas, conforme a colônia cresce, o prejuízo se torna mais visível e audível também. Eles corroem a madeira de dentro para fora, deixando buracos. Assim, é possível identificar quando isso acontece. Basta dar batidinhas na tábua para ouvir a diferença no som da área atingida.

Aliás, alguns ouvidos mais sensíveis conseguem escutar até o barulho dos cupins mastigando, que é bem parecido com o de papel sendo amassado. Essa é uma evidência de infestação.

Nesse ponto, as rachaduras e os buracos nos móveis também são perceptíveis. A camada de madeira que sobra é tão fina que chega a se esfarelar.

Uma fotografia que ilustra o estrago feito por cupins numa escada.

Farelo de madeira 

Você já viu farelos ou granulados nas peças de madeira? Cuidado! Pode ser cocô de cupim. 

Os cupins de madeira seca produzem um resíduo marrom ou acastanhado. Esse pozinho, similar à serragem, nada mais é do que cocô. É um sinal claro de que esses insetos estão em plena atividade.

Geralmente, quando isso é perceptível, a colônia pode já ter dominado a peça de madeira, deixando-a com estrutura totalmente atingida e danificada pela infestação.

Caminhos de terra nas paredes

Os cupins subterrâneos se escondem em locais úmidos, como assoalhos de madeira. Mas, em algum momento da noite, esses visitantes saem em busca de alimento para levar à colônia. É uma espécie resistente, com mandíbulas fortes, que faz de tudo para conseguir chegar à madeira, destruindo o que estiver no caminho: paredes, tubulações de água e até fiações elétricas. 

A melhor forma de identificá-los é observar se existem rastros de terra pelas paredes e pelos cantos. Se houver muitas peças de madeira no local, eles podem deixar rastros até esses objetos.

Sujeira e pó do drywall ou gesso

Os cupins podem corroer o que estiver em seu caminho para abrir túneis à colônia. Eles podem fazer, inclusive, pequenos buracos em paredes de drywall ou revestimentos de gesso. 

Áreas estufadas 

Já deu para perceber que esses visitantes podem causar estragos muito além de buracos em peças de madeira. O piso e o teto podem ficar estufados e os parapeitos e batentes deformados com os ataques dos cupins, dando uma falsa impressão de infiltração. Um cheiro característico de mofo também pode ser sinal de infestação.

Uma fotografia que ilustra um cupim danificando uma madeira.

Identificar o inseto

Os cupins são pequenos, chegando ao tamanho máximo de 2,5 cm, com patas finas e bem pequenas e antenas curtas presas em uma cabeça grande. A coloração pode variar conforme a espécie, mas, geralmente, eles são claros e possuem mandíbulas e cabeça avermelhadas. 

Como evitar cupim

Como os cupins precisam de umidade e escuridão para viver, pois podem morrer se forem expostos à luz do sol ou ao ar livre, é importante verificar se o imóvel possui focos de umidade e providenciar ajustes para manter os ambientes secos e limpos.

Para não ter imprevistos, o ideal é evitar a estocagem inadequada de madeira e seus derivados, além de observar com frequência os rodapés, móveis, forros, esquadrias e outras estruturas de madeira.

Em áreas externas, é importante proteger a superfície de madeira com tintas, vernizes ou outras coberturas apropriadas para vedar frestas e rachaduras.

Se há presença constante de aleluias, o melhor a se fazer é colocar telas em portas, janelas e outras aberturas para evitar a entrada delas.

Uma fotografia que ilustra um homem dedetizando uma casa.

Como acabar com os cupins 

Se a infestação for localizada, os inseticidas domésticos especiais para esse tipo de inseto podem resolver o problema. É importante sempre ficar atento às informações do fabricante para aplicação do produto.

Em casos de infestação, o recomendado é chamar uma empresa especializada em controle de pragas.

Cupim em apartamento 

Os condomínios precisam realizar manutenções periódicas para o controle de pragas. Se o morador identificar infestação em seu apartamento, deve providenciar uma empresa especializada para fazer a correta remoção dos insetos e evitar que se espalhem para imóveis vizinhos.

Mas, e quando o imóvel é alugado, de quem é a responsabilidade? Antes de alugar, é importante verificar se houve uma vistoria no apartamento, que deve constar no contrato de locação. Segundo a Lei do Inquilinato, é dever do locador entregar o imóvel ao inquilino em condições de uso.

A partir do início da locação, é dever do inquilino manter o imóvel nas mesmas e perfeitas condições de habitabilidade em que recebeu.

Receba nossas notícias e informações exclusivas diretamente no seu e-mail


Proteção de Dados Pessoais

A Tegra utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência
de acordo com nossa Política de Privacidade . Ao continuar navegando, você aceita estas condições.
Acesse nossa Política de Privacidade e saiba como tratamos dados pessoais.