Não foi possível detectar sua localização. Selecione um estado de seu interesse para ver as melhores ofertas. X

Blog da Tegra

Composição de renda: o que é e como funciona?

Entenda como a composição de renda pode ajudá-lo a conseguir o valor de empréstimo que você precisa. Acesse!

30/06/2021 • 10h27min • EM MERCADO

Uma fotografia mostra uma pessoa usando uma calculadora.

Se você está pensando em comprar um imóvel financiado, precisa entender como funciona a composição de renda e por qual motivo ela pode ajudá-lo a conseguir o valor do empréstimo que precisa.

Para saber o valor máximo que uma pessoa pode ter de financiamento, o banco considera a renda mensal de quem está aplicando para um empréstimo. Quando ela não tem receita suficiente para conseguir o valor que necessita, é possível juntar outras "rendas". 

Importante destacar que se houver a intenção de incluir alguém na composição de renda que não está no contrato de compra e venda, é necessário realizar uma cessão de direitos para incluí-lo no contrato. Para esse procedimento é cobrada uma taxa de expediente pelos vendedores/ incorporadores.

Neste post, você entenderá como funciona a composição de renda para financiamento imobiliário. Confira!

O que é composição de renda?

A composição de renda pode ser definida como a união de rendas entre duas ou mais pessoas para comprar um imóvel financiado.

A renda é a soma do valor recebido por uma pessoa e pode ser constituída, por exemplo, pela remuneração de trabalho ou de prestação de serviços, aluguel de imóveis e aplicação de capital. 

Para o banco, ela indica a capacidade que uma pessoa tem de realizar o pagamento de acordo com as prestações do empréstimo, junto com uma análise cadastral realizada nos birôs de inadimplentes (como o Serasa) e outras fontes de consulta.

Desta forma, quando uma pessoa vai a uma instituição financeira, para contratar um financiamento imobiliário, e descobre que somente com sua renda não será possível tomar o valor que precisa para adquirir o imóvel desejado, ela tem a opção de unir a sua renda com a de outra(s) pessoa(s). Em geral, quanto maior a renda familiar, maior o limite.

Quem pode fazer parte da composição de renda?

Cada instituição financeira tem suas regras sobre como a composição de renda pode ser feita. Como existem muitas variações nessas normas, é importante consultar o seu gerente bancário para obter as informações corretas.

Em geral, os bancos costumam aceitar a composição de renda entre até três proponentes com vínculo de parentesco. Vale lembrar que todos os participantes passam por análise de crédito. 

Saiba mais:
Aprenda como consultar seu score e aumentar sua pontuação de crédito

Como o banco calcula a renda exigida para o financiamento?

Cada banco trabalha com um percentual de comprometimento de renda. Então, o valor da parcela mensal do financiamento dependerá das regras estabelecidas pela sua instituição financeira. 

Saiba mais:
Tipos de financiamento imobiliário praticados no Brasil 

Como comprovar renda para financiamento imobiliário?

A comprovação de renda, geralmente, pode ser feita a partir da apresentação dos seguintes documentos:

Imposto de renda

A declaração de imposto de renda pode ser solicitada pelo banco, mas como é um documento anual, ou seja, sem atualização constante, pode ser considerada insuficiente.

Holerite

Comprovante de pagamento salarial fornecido pelas empresas aos funcionários. As instituições costumam solicitar os três últimos holerites para calcular a média ponderada e chegar à renda atual.

Decore

Os autônomos podem comprovar a renda por declaração comprobatória de recepção de rendimentos feita pelo contador. Além desse documento, o banco pode solicitar o contrato de prestação de serviços ou recibo por trabalhos prestados.

Extrato bancário

Da mesma forma que os holerites, os extratos dos últimos três meses servirão para fazer a média de renda mensal. 

Vale lembrar que cada instituição financeira define quais documentos serão necessários para comprovar renda, podendo ser solicitados documentos complementares.

Alternativa para não recorrer à composição de renda 

Se você não quer recorrer a familiares e companheiros, por exemplo, para compor renda para obter o financiamento imobiliário, pode aumentar o seu poder de compra utilizando o dinheiro do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).

Todo trabalhador contratado pelo regime CLT, trabalhadores domésticos, rurais e temporários, por exemplo, têm direito ao FGTS, que equivale a 8% do salário mensal e é depositado pelo empregador em uma conta vinculada ao fundo. 

E o dinheiro acumulado pode ser resgatado em algumas situações específicas como demissão sem justa causa, final do contrato por prazo determinado, rescisão do contrato por fechamento total da empresa, rescisão do contrato por culpa bilateral ou força maior, aposentadoria e, por fim, para a obtenção da moradia própria. Mas, para isto, é necessário cumprir algumas regras.

Como usar o FGTS no financiamento imobiliário?

Para utilizar o seu FGTS, você precisa cumprir alguns requisitos:

• Ter pelo menos três anos de carteira assinada. Esse período não precisa ser contínuo, nem na mesma empresa.

• Não ter financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) em nenhuma parte do País.

• Não ser proprietário de imóvel residencial na cidade onde pretende comprar o novo.

• Trabalhar ou morar na cidade onde fica o imóvel que pretende comprar.

• Na data que pedir para usar o saldo do FGTS, as prestações do seu financiamento precisam estar em dia.

Receba nossas notícias e informações exclusivas diretamente no seu e-mail




Proteção de Dados Pessoais

A Tegra utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência
de acordo com nossa Política de Privacidade . Ao continuar navegando, você aceita estas condições.
Acesse nossa Política de Privacidade e saiba como tratamos dados pessoais.