Não foi possível detectar sua localização. Selecione um estado de seu interesse para ver as melhores ofertas. X

Blog da Tegra

Entenda como funciona o sistema pay per use nos condomínios

O pay per use alia moradia e prestação de serviços cotidianos para proporcionar facilidade, segurança e comodidade aos moradores. Saiba mais!

03/11/2020 • 10h00min • EM MERCADO

Uma fotografia de uma pessoa passando o aspirador de pó no tapete da sala.

Conciliar o trabalho, estudo, filhos e todas as necessidades diárias é um grande desafio na vida da maioria das pessoas que vive nas grandes cidades. As 24 horas de um dia nem sempre são suficientes para realizar todas as atividades.

É neste contexto que surgiu o pay per use nos condomínios, sistema que alia moradia e prestação de serviços cotidianos para proporcionar facilidade, segurança e comodidade aos moradores.


O que é pay per use?

O pay per use é um termo em inglês que significa "pague pelo uso", ou seja, os moradores pagam apenas o que usam. Os condomínios têm oferecido esse sistema para facilitar o dia a dia das pessoas com serviços essenciais, como limpeza, arrumação, lavagem de carro, recreação e cuidados infantis, pet care, personal trainer, entre outros. 


Diferença entre facilities e pay per use

Os facilities são os serviços contratados pelo próprio condomínio e todos os moradores pagam por eles. Algumas das áreas mais comuns de contratação de facilities são as de apoio, o que engloba serviços como de limpeza, recepção e segurança. 

Quais os benefícios do pay per use?

Quem já precisou de serviços de limpeza, manutenção e pequenos reparos em casa, lavanderia ou até mesmo babá sabe da dificuldade de se conseguir uma indicação de confiança.

E se o condomínio está em uma área mais afastada do centro, com pouca oferta de comércio local, dificulta ainda mais o acesso a itens básicos. Comprar um simples pãozinho para o café da manhã, por exemplo, pode se tornar algo muito difícil. 

Além da comodidade e segurança, o custo costuma ser menor quando o serviço é contratado por muitas pessoas. Segundo a Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios (Aabic), a redução dos preços pode chegar a até 5%, em média, em relação aos valores praticados no mercado.

Dependendo do tamanho do empreendimento, caso feche pacotes com muitos moradores, por exemplo, esse tipo de prestação de serviço pode ser ainda mais vantajoso.

Quais são os serviços do pay per use?

O conceito de pay per use é ter a vida toda resolvida na área comum. Então, é possível levar diversos tipos de serviços para dentro do condomínio e, dependendo do tamanho e necessidades, as opções são cada vez mais inovadoras.

Isso garante mais comodidade e economia para os moradores. Aqui estão alguns exemplos:

• Limpeza (arrumação básica, pós-mudança, limpeza de churrasqueira, faxina, limpeza de vidros, pós-festa, serviços de copeira e garçom);

• Lavagem de carro;

• Recreação e cuidados infantis;

• Pet care (cuidados com animais de estimação, veterinários, banho);

• Pet sitter (cuidador de animais de estimação na própria residência do morador);

• Personal trainer/ Assessoria esportiva;

• Manutenção e reparos (chaveiro, eletricista, jardineiro, marceneiro, vidraceiro);

• Babá;

• Professor de idiomas;

• Técnico em informática;

• Gastronomia (comidas congeladas, buffet);

• Supermercado/ Padaria/ Feira delivery;

• Bem-estar (cabeleireiro, maquiador, manicure, massagista);

• Lavanderia;

• Esportes (aulas de pilates, natação, artes marciais);

• Transportadora;

• Motorista/ Táxi.


Como implantar o pay per use?

A ideia de resolver tudo sem precisar sair de casa é reflexo de um estilo de vida moderno em que se busca praticidade e comodidade. Vemos isso também nos empreendimentos, que contam com áreas de lazer para proporcionar bem-estar e qualidade de vida, como o nosso Home Club Caminhos da Lapa.

São mais de 11 mil m² de clube, piscina coberta e climatizada, localizado na primeira rua jardim de São Paulo.

Com o aumento dos espaços compartilhados, as pessoas estão usufruindo mais do condomínio e acabam permanecendo cada vez mais tempo nele. Isso tem ajudado a popularizar o pay per use. 

Por exemplo, até alguns anos atrás ninguém pensava em ter áreas próprias para os pets. Atualmente, muitos empreendimentos possuem o chamado pet place, um local reservado para o bem-estar e cuidado dos animais de estimação.

Neste caso, se for do interesse dos moradores, podem ser incluídos no pay per use os profissionais educadores e cuidadores de pets. 

Geralmente, a implantação do pay per use pode ser uma iniciativa do síndico, uma sugestão da administradora ou, ainda, dos próprios moradores. 

Antes de colocar em prática o sistema, o assunto é levado para aprovação em assembleia e inserido na convenção do condomínio, como qualquer outra matéria.

O responsável pela contratação da empresa, ou do profissional que irá passar a ofertar os serviços, e a forma de pagamento são de responsabilidades do síndico, assunto que também é debatido em reunião.

Depois de implantado, as administradoras podem incluir o sistema em seus sites e dar acesso aos moradores para agendamento de horários, pesquisa de preços, descrição do serviço e avaliação dos prestadores.

Hoje, já existem aplicativos de gestão de condomínios que mapeiam fornecedores e criam catálogos personalizados para cada condomínio. 

Gostou dessas dicas? Aproveite e leia também aqui no Blog da Tegra:

Pet place ganha espaço e é essencial nos novos condomínios

Automação residencial: veja tudo o que há de mais moderno

Receba nossas notícias e informações exclusivas diretamente no seu e-mail


;

Proteção de Dados Pessoais

A Tegra utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência
de acordo com nossa Política de Privacidade . Ao continuar navegando, você aceita estas condições.
Acesse nossa Política de Privacidade e saiba como tratamos dados pessoais.

;