Não foi possível detectar sua localização. Selecione um estado de seu interesse para ver as melhores ofertas. X

Blog da Tegra

Posso usar o FGTS na compra de um segundo imóvel?

Existem algumas regras específicas para quem deseja comprar uma segunda casa ou apartamento com recursos do FGTS. Acesse e saiba mais!

29/01/2021 • 17h43min • EM MERCADO

Posso usar FGTS na compra do segundo imóvel

Todo trabalhador contratado pelo regime de Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) tem direito ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), que equivale a 8% do salário mensal e é depositado pelo empregador em uma conta vinculada ao fundo. Esse dinheiro pode ser um bom aliado para quem deseja comprar ou construir um imóvel residencial, pois o saldo do fundo pode ser utilizado na hora da contratação - como entrada do financiamento, constituindo parte do pagamento ou do valor total.

O que muita gente não sabe é que é possível também comprar uma segunda casa ou apartamento com os recursos do FGTS. Nesse caso, existem algumas regras específicas. 

Posso usar o FGTS na compra de um segundo imóvel?

É possível comprar um segundo imóvel com recursos do FGTS, sob as regras de um financiamento chancelado pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH), com algumas condições específicas. 

- Não ser proprietário, possuidor, promitente comprador, cessionário, usufrutuário de outro imóvel residencial, concluído ou em construção, localizado:

a) no mesmo município do exercício de sua ocupação laboral principal, incluindo os municípios vizinhos ou os integrantes da mesma Região Metropolitana;

b) no mesmo município de sua residência, incluindo os municípios vizinhos ou os integrantes da mesma Região Metropolitana.

- O imóvel não pode ter sido produto de uso do FGTS nos últimos três anos, contados a partir da data do efetivo registro na matrícula do imóvel. Por exemplo, se o imóvel adquirido foi registrado na matrícula em 30.11.2009, somente poderá ocorrer nova utilização a partir de 01.12.2012.

- Se o proprietário possuir apenas uma fração de um imóvel residencial, ele pode utilizar o FGTS para adquirir outro imóvel, contanto que sua parte seja igual ou inferior a 40% do imóvel em que mora. Por exemplo: uma pessoa que herdou uma casa junto com seus dois irmãos. Em tese, cada irmão é dono de 33,33% da propriedade.

Quem possui lotes ou terrenos também pode utilizar o fundo para a compra de um imóvel residencial, desde que comprove não haver construção nos terrenos de sua propriedade.

Outros requisitos necessários para utilizar o FGTS: 

O valor do imóvel deve ser de no máximo R$1,5 milhão.

O imóvel deve estar matriculado no Cartório de Registro de Imóveis competente e sem registro de gravame que resulte em impedimento à sua comercialização.

Ter pelo menos três anos de carteira assinada. Esse período não precisa ser contínuo, nem na mesma empresa.

Trabalhar ou morar na cidade onde fica o imóvel que pretende comprar.

Não ter financiamento ativo no Sistema Financeiro de Habitação (SFH) em nenhuma parte do país.

Na data que pedir para usar o saldo do FGTS, as prestações do seu financiamento precisam estar em dia.

Como utilizar o FGTS para comprar um imóvel?

Para a compra da casa própria, o FGTS pode ser usado em três momentos:

- Para comprar ou construir. O saldo pode ser usado para pagar uma parte ou o valor total do imóvel.

- Para amortizar ou liquidar dívidas. O saldo pode ser usado para quitar total ou parcialmente as dívidas, uma vez que o contrato seja do Sistema Financeiro de Habitação (SFH).

- Pagar parte do valor das prestações. O saldo pode ser usado para diminuir em até 80% o valor das prestações em 12 meses seguidos, caso o contrato seja do SFH.

O FGTS não pode ser utilizado para comprar imóvel comercial, reformar ou ampliar o imóvel, comprar terrenos sem construção ao mesmo tempo, comprar material de construção ou para imóveis residenciais para familiares, dependentes ou outras pessoas.

Quais imóveis posso comprar com o FGTS?

Somente os imóveis financiados pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) podem ser comprados com o FGTS. Eles também devem estar dentro de um limite de valor redefinido periodicamente. Atualmente, o valor é de até R$1,5 milhão.

Além disso, essa casa ou apartamento tem que ser urbano (ou seja, dentro da cidade), residencial e destinado à moradia do trabalhador.

Nas questões mais técnicas e burocráticas, o imóvel tem que apresentar plenas condições de habitação, possuir matrícula no cartório de registro de imóvel competente. 
Ah, e não é possível usar o fundo para adquirir um imóvel comercial, um terreno sem construção ou para comprar um imóvel residencial para terceiros.

Qual é a documentação necessária para sacar o meu fundo?

Os documentos necessários, em geral, são estes:

- Documento oficial de identificação;
- Extrato de conta vinculada ao FGTS;
- Carteira de trabalho para comprovar o tempo de trabalho sob o regime do
FGTS;
- Contracheque atual;
- Se você é trabalhador avulso: declaração do órgão gestor da mão de obra ou
do sindicato;
- Declaração de Imposto de Renda Pessoa Física - DIRPF. No caso de trabalhador
casado ou em união estável, apresentar a DIRPF de ambos os
cônjuges/companheiros;
- Certidão da matrícula do imóvel contendo a averbação da obra, quando o
financiamento foi destinado à Construção de Imóvel Residencial;
- Quando o casamento no regime da Comunhão Universal de Bens ocorreu após
assinatura do contrato de financiamento e o cônjuge, não participante do
contrato, estiver solicitando a utilização do FGTS, apresentar: a certidão de
casamento com regime de comunhão universal de bens, Carteira de
Identidade/CPF do cônjuge e do pacto antenupcial para casamentos a partir da
Lei 6.515, de 26/12/1977; e a certidão da matrícula contendo a averbação do casamento referente ao imóvel, objeto do uso do FGTS;

Receba nossas notícias e informações exclusivas diretamente no seu e-mail




Proteção de Dados Pessoais

A Tegra utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência
de acordo com nossa Política de Privacidade . Ao continuar navegando, você aceita estas condições.
Acesse nossa Política de Privacidade e saiba como tratamos dados pessoais.