Não foi possível detectar sua localização. Selecione um estado de seu interesse para ver as melhores ofertas. X

Blog da Tegra

Aprenda a criar um jardim vertical no seu apartamento

Os jardins verticais se tornaram uma opção prática para trazer mais vida ao cotidiano das grandes cidades. Descubra como fazer o seu e deixar seu apartamento ainda melhor!

02/04/2020 • 10h00min • EM DICAS & DECORAÇÃO

Como criar um jardim vertical em apartamento

Com a presença cada vez menor de plantas e árvores em geral em grandes centros, diversas pessoas ligadas a temas como sustentabilidade e meio-ambiente encontram uma solução prática para trazer mais verde para o seu dia a dia. Estamos falando dos famosos da vez: os jardins verticais.

Esse pedacinho da natureza em casa se tornou uma das maiores tendências de decoração atual e um grande exemplo de como podemos integrar aspectos urbanos e naturais de maneira fluida, se tornando inclusive grandes cartões postais e presença constante nas redes sociais de muitos moradores de cidades como Berlim, Nova York e São Paulo.

Eles nada mais são do que jardins montados e fixados no sentido vertical em uma determinada superfície. Esse lugar pode ser uma parede dentro de casa, um pilar estrutural ou até mesmo um grande muro externo de um edifício. E graças à sua variedade e pluralidade de plantas, eles podem se tornar lindos painéis, mesclando texturas e cores.

É por isso que hoje viemos contar para você sobre como fazer o seu próprio jardim vertical no seu apartamento de maneira simples. Siga algumas regras básicas e respeite os limites da planta que você escolheu para decorar o seu lar.

Vamos descobrir juntos?

 COMO FAZER O SEU JARDIM?

Como tudo, o jardim vertical depende de uma estrutura física para suportá-lo. Esse suporte precisa aguentar o peso da terra que servirá como base para as plantas, assim como suas raízes e a água que será usada para regá-las constantemente.

Existem inúmeros tipos de materiais diferentes que podem ser utilizados, como:

• Blocos pré-moldados:

Devem ser instalados em muros impermeabilizados;

• Blocos cerâmicos:

Precisa ser impermeabilizado e pintado, e é instalado com uso de argamassa na parede;

• Treliça:

Normalmente feita de madeira, também pode ser confeccionada com outros materiais, como bambu e PVC;

• Estrutura modular de plástico:

Pode ser comprada individualmente ou em kit, o que permite adaptar a espaços de tamanhos diversos;

• Sistema modular:

Composto por nichos sequenciais com encaixe para vasos;

• Painéis de fibra de coco:

Costumam vir com vasos feitos do mesmo material, e têm como vantagem o fato de reter naturalmente a umidade, o que diminui a necessidade de irrigação contínua;

• Prateleiras:

Nelas é possível fazer um jardim vertical barato com plantas variadas em vasos comuns.

Após escolher o material e o tipo de superfície que seu jardim será instalado, basta agora começar a montá-lo de acordo com suas escolhas estéticas, pensando na base com a terra que receberá as mudas de cada planta ou até mesmo as sementes para que sejam plantadas.

Sempre conte com o auxílio de um decorador profissional e um jardineiro, pois ambos serão essenciais na manutenção do seu jardim vertical após ele estar fixo no seu apartamento.

INVISTA NA ESCOLHA DO SEU TIPO DE PLANTA

Escolher a planta certa para o seu jardim vertical é tão importante quanto escolher a cortina certa para sua sala. E isso pode variar muito de acordo com aspectos diferentes, como a incidência de raios de sol no local, a presença de irrigação de água constante e muitos outros.

Por isso, é preciso pensar muito bem a respeito da planta escolhida, pois ela pode trazer mais benefícios do que apenas estéticos, como: economizar energia com sistemas de condicionamento de ar, reduzir a poluição do ar e sonora, criar ambientes mais amigáveis para quem trabalha etc.

Aqui vão nossas dicas de plantas ideais para você escolher!

Para incidência de sol pleno:

• Aspargo-pluma (Asparagus densiflorus)

• Barba-de-serpente (Ophiopogon jaburan)

• Brilhantina (Pilea microphylla)

• Hera-inglesa (Hedera helix)

• Jiboia (Epipremnum pinnatum)

• Lambari-roxo (Tradescantia zebrina)

• Orquídea-grapete (Spathoglottis unguiculata)

• Liríope (Liriope spicata)

• Tilândsia (Tillandsia sp)

• Trapoeraba-roxa (Tradescantia pallida purpúrea)

 

Para incidência de sol à meia sombra:

• Antúrio (Anthurium andraeanum)

• Asplênio (Asplenium nidus)

• Babosa-de-pau (Philodendron martianum)

• Barba-de-sepente (Ophiopogon jaburan)

• Bromélia (Guzmania sp)

• Columéia-peixinho (Nematanthus wettsteinii)

• Chifre-de-veado (Platycerium bifurcatum)

• Chuva-de-ouro (Oncidium sp)

• Dedo-de-moça (Sedum morganianum)

• Dinheiro-em-penca (Callisia repens)

• Falenópsis (Phalaenopsis x hybridus)

• Flor-batom (Aeschynanthus radicans)

• Flor-de-maio (Schlumbergera truncata)

• Renda-portuguesa (Davalia fejeensis)

• Samambaia (Nephrolepis exaltata)

• Singônio (Syngonium angustatum)

• Vriésia (Vriesea sp)

 

Veja também:

 - Como Escolher O Melhor Ar-Condicionado Para Seu Apartamento

Agora você já tem todas as dicas para começar o seu jardim vertical! E não deixe de conferir as novidades no blog da Tegra. Temos certeza de que você irá adorar todas as dicas que separamos para você!

Receba nossas notícias e informações exclusivas diretamente no seu e-mail




Proteção de Dados Pessoais

A Tegra utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência
de acordo com nossa Política de Privacidade . Ao continuar navegando, você aceita estas condições.
Acesse nossa Política de Privacidade e saiba como tratamos dados pessoais.