Não foi possível detectar sua localização. Selecione um estado de seu interesse para ver as melhores ofertas. X

Blog da Tegra

Atrapalha ou ajuda? Saiba escolher a música ideal para trabalhar

Existem pessoas que dizem não conseguir trabalhar sem ouvir música, enquanto outras preferem o silêncio. Será que a música atrapalha ou ajuda? Acesse e confira!

26/06/2020 • 10h46min • EM LIFESTYLE

Mulher escutando música em um cafeteria enquanto trabalha

Uma cafeteria foi inaugurada perto do trabalho. Lá, além da decoração moderna e dos baristas sorridentes, sempre toca uma música agradável - nem muito agitada e nem tão comedida, totalmente convidativa. Tudo isso, misturado ao delicioso cheiro de café, é a combinação perfeita para um lugar aconchegante. Você já esteve em situação similar?

Com essa fórmula, os cafés se tornaram um local concorrido para reuniões e trabalho remoto. Além, é claro, do acesso à internet. Com essa composição, qual o papel da música? Será que ela interfere muito ou pouco para deixar esses lugares tão agradáveis?

A música mexe com a nossa mente e o nosso corpo, e isso é incontestável. Recorremos sempre a ela quando buscamos alterar um estágio de humor ou até mesmo nos concentrar. Se precisamos nos animar para cumprir alguma tarefa, ouvimos frequências que nos trazem essa motivação. Se estamos estressados e queremos relaxar, optamos por canções que nos permitem sentir isso.

E cada pessoa reage à música de um jeito diferente. Existem pessoas que dizem não conseguir trabalhar sem ouvir música, enquanto outras preferem o silêncio. Nesse caso, será que a música atrapalha ou ajuda?

A resposta pode ser mais complexa do que imaginamos. Confira neste post!


Teoria da ativação

Historicamente, música e trabalho já estavam relacionados. Na década de 40, com a Segunda Guerra Mundial em andamento, o governo do Reino Unido convidou a BBC para transmitir músicas otimistas duas vezes ao dia nas fábricas, com intuito de acelerar o ritmo do trabalho. Depois de um tempo, constatou-se um aumento na produção.

A partir daí, a música foi usada cada vez mais em ambientes de trabalho. Em 1960, surgiu a “teoria da ativação”, em meio à preocupação de que as pessoas poderiam perder a produtividade em trabalhos monótonos, como a linha de montagem nas fábricas. É a ideia de que as pessoas precisam de uma certa quantidade de excitação mental para poder funcionar de maneira eficaz.

Efeitos da música no cérebro

Há anos a ciência estuda os efeitos da música no cérebro. Vamos lembrar de uma teoria que ficou conhecida como o “efeito Mozart”. Foi amplamente divulgada pela mídia a ideia de que ouvir uma sonata para piano criada por um gênio poderia deixar as pessoas mais inteligentes. Logo, esse conceito foi incorporado no mundo da maternidade e mulheres grávidas começaram a tocar Mozart para seus filhos ainda na barriga.

As aplicações de Mozart não pararam por aí. Por razões que ainda não estão claras, suas composições são mais eficazes em alterar o nosso humor e aumentar nossos níveis de excitação, melhorando, portanto, nosso desempenho.

Como escolher músicas para aumentar a produtividade?

Afinal, existe um estilo que tenha o poder de aumentar a produtividade? A resposta é: depende. A ciência ainda não chegou a uma conclusão sobre isso, justamente porque a reação é muito variável.

A recepção de uma pessoa à música muda com base em muitos fatores, como o tipo de trabalho, o gênero da canção - e o quanto de atenção está sendo dado para ela - e a personalidade. O que motiva uma pessoa, pode ser um horror para outra.


Dicas para montar sua lista

Mesmo considerando que cada pessoa tem seu próprio estilo, existem algumas instruções para ajudar a obter o efeito desejado.

O que vale é o impacto que a música tem na sua rotina. Se ela funciona para você, continue escutando. E se você tem dúvidas em relação a isso, vale a pena experimentar estas dicas!

- Comece devagar: canções mais pacíficas são uma boa pedida para iniciar o dia. Experimente “Here Comes The Sun”, dos Beatles.

- Aumente o ritmo: se você perceber que precisa estar mais ativo, tente as músicas mais agitadas, como “Call Me Maybe”, da Carly Rae Jepsen, “I Wanna Dance with Somebody”, da Whitney Houston, e “I Will Survive”, de Diana Ross.

- Músicas favoritas: cuidado com a lista de músicas preferidas - elas podem atrapalhar a concentração.

- Tarefas complexas: em alguns contextos, a música pode sobrecarregar a memória. Evite canções com letras complicadas e prefira as que possuem mais trilhas e menos vocal.

- Só para você: se estiver no mesmo ambiente com outras pessoas, use o fone de ouvido. Além de respeitar a individualidade de cada um, você terá menos interferências na sua audição.

- Mozart: falam tanto dele, por que não testar? Escute por alguns minutos músicas clássicas, como o “K. 448”, de Mozart.

Faça o seu próprio teste para encontrar trilhas sonoras aliadas à sua produtividade diária. Ah, e se você não se sente tão confortável em trabalhar com qualquer tipo de música, opte pelo silêncio. O importante é você se sentir bem durante as suas atividades.


Gostou dessas dicas? Veja também:

Controle sua respiração e reduza ao máximo sua ansiedade

Os benefícios da meditação no seu dia a dia

Receba nossas notícias e informações exclusivas diretamente no seu e-mail


;

Proteção de Dados Pessoais

O Contato do Encarregado/DPO da Tegra é o e-mail: gdp@tegraincorporadora.com.br.
Utilize esse canal para esclarecimentos sobre a Política de Privacidade ou sobre os direitos do titular em relação aos seus dados pessoais,
tais como acesso, correção, exclusão, restrição, transferência e retirada de consentimento.

;