Não foi possível detectar sua localização. Selecione um estado de seu interesse para ver as melhores ofertas. X

Blog da Tegra

Como planejar sua aposentadoria para viver com a renda de aluguel?

A ideia que temos de aposentadoria é viver com tranquilidade, mas para colocar esse plano em prática é preciso planejar. Aprenda como fazer isso. Acesse!

24/02/2021 • 11h24min • EM MERCADO

Uma fotografia com recorte em uma mão colocando uma moeda sobre uma pilha de moedas e, ao fundo, duas miniaturas de imóveis.

Comprar imóveis com objetivo de obter renda com o aluguel é um dos mais tradicionais tipos de aplicação financeira e, em muitos casos, a fonte principal de dinheiro.

O desejo de garantir um futuro melhor para a família e, principalmente, não depender da aposentadoria do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), tem levado os brasileiros a buscarem formas diversificadas de renda.

A maior motivação por trás do investimento em imóveis é a busca pela estabilidade. De acordo com um estudo realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), a segurança e o desejo de evitar a possibilidade de perda financeira são as razões mais citadas para a opção pelos imóveis (59,8%). A pesquisa mostra que cerca de 28,8% dos brasileiros possuem propriedades.

Se você está pensando em investir na compra de um imóvel para viver com a renda de aluguel e garantir capitalização para aposentadoria, é importante considerar alguns pontos para que o lucro seja certo. Aprenda como se planejar neste post. Confira!

Como começar a planejar a aposentadoria

A ideia que temos de aposentadoria é viver com tranquilidade, mas para colocar essa ideia em prática é preciso planejamento. Nem sempre é fácil preservar parte da renda mensal pensando no futuro, mas esta é uma atitude imprescindível para quem pretende ter uma vida financeira mais saudável.

A hora de pensar na aposentadoria

Por mais que a aposentadoria possa parecer distante, é importante pensar o quanto antes como você deseja estar no futuro. Lembre-se que a terceira idade chega para todos.

E, para garantir uma aposentadoria mais tranquila financeiramente, é necessário fazer um planejamento o mais cedo possível.

Faça um bom planejamento financeiro

Para alcançar qualquer objetivo na vida, como ter um carro, fazer uma viagem ou comprar imóveis, é preciso estabelecer metas e ter controle sobre as próprias finanças. E a primeira etapa é fazer um diagnóstico da vida financeira.

Isso pode ser feito em uma planilha de excel ou mesmo em um caderno, listando a receita mensal (salário e qualquer outra fonte de renda), as despesas essenciais (aluguel, água, luz, escola, entre outros) e os gastos variáveis (dívidas, lazer e cuidados pessoais, por exemplo).

O diagnóstico, ou seja, conhecer a situação financeira e entender as limitações para investir nos planos para a aposentadoria, será obtido a partir das seguintes questões:

• Quanto dinheiro você tem todo mês (líquido);

• Quanto gasta com despesas essenciais;

• Quanto gasta com variáveis;

• Qual o valor total das dívidas;

• Por quanto tempo o orçamento está comprometido com dívidas;

• E quais gastos pode cortar.

Pronto, com as finanças organizadas é só estabelecer as metas para planejar a aposentadoria.

Aprenda a investir por conta própria

É hora de determinar o que fazer com o dinheiro para conseguir comprar imóveis. Uma das principais dúvidas é sobre onde aplicá-lo para rentabilizar. Isso depende muito do perfil de cada pessoa, por isso é importante buscar informações e entender cada opção existente no mercado.

Para iniciantes, que não se sentem muito seguros, a melhor alternativa pode ser os investimentos de renda fixa. Neste caso, o Tesouro Direto tem sido uma das apostas de quem está começando.

Nele, você empresta seu dinheiro ao Governo Federal, que precisa captar recursos para financiar projetos de educação, saúde e outros. Assim, você se torna credor do governo e recebe o valor emprestado com as devidas correções de juros.

Mantenha a regularidade dos seus aportes

A rotina é o segredo para quem quer alcançar a aposentadoria de forma tranquila. Portanto, procure sempre manter a regularidade das suas aplicações mês após mês, independente das opções de investimento escolhidas.

Para evitar frustrações, é importante definir metas alcançáveis. Afinal, estamos falando de um planejamento em longo prazo.

Financiamento imobiliário

É muito difícil conseguir a quantia total para comprar um imóvel à vista, por isso, muitas pessoas recorrem ao financiamento imobiliário. Esta pode ser uma boa opção, ainda mais com as taxas de juros mais baixas praticadas atualmente no mercado, por conta da queda da Selic.

Saiba mais:

Entenda como a taxa Selic influencia no financiamento imobiliário

Comprar imóveis para alugar

Comprar um imóvel é uma decisão que precisa ser tomada depois de muita pesquisa. É necessário analisar, por exemplo, onde o imóvel está localizado, para garantir liquidez na locação. A localização do imóvel é um fator que influencia diretamente no tempo de retorno do investimento.

Um exemplo é o Square Garden, um empreendimento Tegra localizado em uma região estratégica e privilegiada do Campo Belo, próximo a centros empresariais e entretenimento.Imóveis próximos a comércios, bancos, supermercados, vias importantes e com facilidades na mobilidade, por exemplo, tendem a ser mais procurados e, consequentemente, mais valorizados.

Além disso, propriedades com condomínio mais vantajoso, com áreas de lazer e vaga de garagem, apresentam mais liquidez na procura pela locação.

É preciso avaliar todas as características do imóvel e compará-las não só às necessidades e expectativas, mas também ao poder aquisitivo do público que busca locação em determinada região, diminuindo as chances de o imóvel ficar vago por muito tempo.

Rentabilidade na locação de imóveis

O aluguel de um imóvel pode ser considerado como um retorno do investimento realizado. Portanto, é indispensável calcular a rentabilidade para que o lucro obtido cubra os valores desembolsados.

O aluguel deve corresponder de 0,5% a 1% do valor líquido do imóvel (sem incluir IPTU, condomínio e seguros). Mas este é apenas o ponto de partida para o cálculo, pois existem muitos fatores que influenciam no valor do aluguel, como:

Tamanho do imóvel;

Localização do imóvel;

Idade do imóvel / Conservação;

Infraestrutura;

Tempo de uso;Acessibilidade;

Preço de mercado/ imóveis da região.

Tudo isso deve ser levado em conta. Ao fazer uma estimativa, você terá uma noção de quanto será sua renda extra.

Receba nossas notícias e informações exclusivas diretamente no seu e-mail




Proteção de Dados Pessoais

A Tegra utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência
de acordo com nossa Política de Privacidade . Ao continuar navegando, você aceita estas condições.
Acesse nossa Política de Privacidade e saiba como tratamos dados pessoais.